3 de ago de 2014

Da vontade à liberdade: trabalho, ciência e educação em Mikhail Bakunin (Rafael David Abrunhosa, 2013)




Resumo:

Este trabalho tem como objetivo analisar/compreender os conceitos de ciência, trabalho e educação, separados e em sua relação, segundo o pensador socialista russo do século XIX Mikhail Bakunin. Bakunin compreende a realidade em eterna disputa e acentua que na sociedade de classes as Ciências e a Educação cumprem um importante papel de dominação da burguesia sobre o proletariado. A dominação da burguesia sobre o proletariado assenta-se, para Bakunin, na injusta divisão social do trabalho, em que uma minoria executa funções de controle/domínio enquanto uma maioria executa funções laborais. Essa divisão é desenvolvida pelo modelo burguês de educação que separa a formação intelectual da manual. Assim o pensador russo compreende o trabalho, que no autor possui uma singular análise sociológica, aliado à Educação que poderia libertar o homem (liberdade). A esse modelo proposto o autor denominava de instrução integral. Dessa forma a instrução integral não poderia ser aplicada na sociedade capitalista, pois sua divisão social do trabalho impede a unidade entre estudo e trabalho. A instrução integral seria a base da sociedade futura, pois só ela permitiria o fim da divisão entre trabalho intelectual e manual.